Google Page Experience: o que você precisa saber sobre o novo fator de ranqueamento

UX será considerada no ranqueamento do Google. Saiba os principais pontos para preparar o seu site.

A gigante das buscas anunciou que sua nova atualização, o Google Page Experiencie, já tem data para chegar. A partir de maio de 2021, a experiência do usuário (UX) será um novo fator de ranqueamento nas buscas do Google. Entre as atualizações, fatores como velocidade de carregamento, boa responsividade mobile e navegação segura já faziam parte dos objetivos de uma boa estratégia de SEO há muito tempo, e agora, passarão formalmente a influenciar o ranking do Google.

A publicação oficial pode ser consultada no blog oficial do google clicando aqui.

experiência do usuário (UX) é um conjunto de parâmetros relacionados a como um visitante interage com o site, e ganhou importância como consequência natural do amadurecimento da indústria e do próprio comportamento das pessoas na internet.

Os principais itens a serem levados em conta a partir de agora são:

  • Tempo de carregamento para preenchimento do maior conteúdo da página, imagem ou texto (idealmente abaixo de 2,5 segundos);
  • Tempo de resposta da página, ou seja, quanto dura para ações do usuário serem efetuadas (idealmente abaixo de 100 milisegundos)
  • Responsividade do conteúdo; ou seja, que todos os elementos visuais sejam adaptáveis ao acesso em diferentes plataformas, seja em desktops, em diferentes smartphones, tablets, etc.
  • Ausência de tens que “saltem” ou troquem de posição na página durante a rolagem;
  • Uso de protocolo HTTPS (recurso de segurança que já era importante e deve ficar ainda mais em voga);
  • Ausência de anúncios intrusivos.

Também fazem parte da experiência de página os Core Web Vitals (Métricas essenciais da web): um conjunto de métricas que medem a experiência do usuário no mundo real para interações como desempenho de carregamento (LCP ou Largest Contentful Paint), interatividade (FID ou First Input Delay) e estabilidade visual da página (CLS Cumulative Layout Shift).

Para que toda a comunidade pudesse extrair o máximo das novas orientações, o Google ainda ampliou seu leque de ferramentas para mensuração dessas métricas, bem como incluiu novos recursos em ferramentas já conhecidas, como o Search Console e o Lighthouse.

As métricas essenciais da web de qualquer site podem ser analisadas nas plataformas:

  • Google Search Console: está localizado na seção “Melhoramentos”, onde também estão os relatórios de usabilidade mobile e AMP.
  • Google PageSpeed Insights: a mais tradicional ferramenta disponibilizada gratuitamente pelo Google para medir a velocidade de carregamento de um site também foi atualizada, para atender a demanda dos Core Web Vitals.
  • Lighthouse: na versão 6.0, a ferramenta nativa do DevTools, no Google Chrome, agora tem um novo performance score, que inclui avaliações para os Core Web Vitals.
  • Chrome UX Report:CrUX, como é conhecido, já tem um template voltado exclusivamente aos Core Web Vitals.
  • Extensão Web Vitals: para medir os Core Web Vitals de um site em tempo real, baixe a extensão para Chrome Web Vitals.

O Google também anunciou que qualquer página que possua boas avaliações nos critérios do Page Experience concorrerá às posições do Top Stories, e páginas AMP competirão com páginas que não necessariamente utilizam o recurso.

Para empresas que não têm sites rápidos (especialmente publishers de conteúdo), páginas com AMP tendem a levar alguma vantagem sobre as que não o utilizam, justamente porque o Accelerate Mobile Pages foi criado com o objetivo de ajudar as páginas a corresponderem às boas práticas de usabilidade designadas pelo Google.

O conteúdo, para todos os efeitos, continua sendo primordial para um bom ranqueamento, como diz

Sowmya Subramanian, Diretora de Engenharia do Ecossistema de Google Search:

“Embora todos os componentes da experiência de usuário sejam importantes, priorizaremos páginas com as melhores informações, ainda que alguns aspectos de Page Experience sejam inferiores. Uma boa experiência de usuário não substitui um conteúdo excelente e relevante. No entanto, em casos onde muitas páginas apresentem conteúdo semelhante, o Page Experience se tornará muito mais importante para a visibilidade na página de resultados.”

Seu site está preparado para estas mudanças do Google? Se precisar de algum auxílio, conte com o Mago do Adwords.